Aba

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Minha querida pesquisa - Thiago Itiro Ibuki Kai

Desde cedo, sempre gostei da área de exatas, principalmente de Matemática. Uma das minhas maiores influências foi o método Kumon, onde aprendia e me adiantava em relação à minha série escolar. Com isso, tive facilidade nas contas por muito tempo, e então chegou a faculdade.

Falando em faculdade, atualmente estou indo para o 6º semestre de Engenharia de Controle e Automação na Unesp de Sorocaba. Bem antes disso, no ensino médio, eu cogitava prestar Engenharia de Computação, pois além de sempre jogar online no computador, eu também me interessava muito em como esses jogos eram feitos e programados. Queria conhecer cada peça do PC e suas funções. Porém, não consegui passar no vestibular no final da minha 3º série do Ensino Médio, o que me levou para a vida do cursinho. Estudei durante um semestre no cursinho até que, no meio do ano de 2016, passei na Unesp para Eng. De Controle e Automação e na UTFPR para Eng. De Computação. A dúvida foi sanada basicamente pela distância, já que o UTFPR fica em Curitiba-PR, optei por ficar em Sorocaba-SP (1 hora de viagem da minha cidade natal, Botucatu-SP).

Então começou a minha jornada na Universidade. Como todos dizem, é um ambiente de estudo diferente em relação ao Ensino Médio e cursinho. Há mais conteúdo, novas responsabilidades e uma rotina puxada. No primeiro ano, tive as matérias essenciais de engenharia, envolvendo cálculos com integrais e derivadas, programação em C++, oficinas mecânicas, química e principalmente física (mecânica, termodinâmica e ondulatória). É muito interessante rever os assuntos do ensino médio na faculdade, pois tudo que você não entendia antes, agora com o aprofundamento e novas técnicas, passa a ser esclarecido. Além disso, há aulas de laboratórios de física, onde você aplica a teoria na prática, observando o funcionamento do sistema com os próprios olhos. A partir disso, aprendi a fazer relatórios, nos quais tinha que discutir e comparar os resultados do experimento.

Figura 1: Foto tirada no laboratório de física, analisando o comportamento da onda eletromagnética.

Já o segundo ano foi o mais difícil, até agora, principalmente o 3º semestre.  Nele, cursei matérias envolvendo circuitos elétricos e digitais, eletromagnetismo, matemática aplicada à engenharia e física mecânica. Aprendi o básico de um circuito digital, como a tabela verdade e números binários e a montagem de um circuito, utilizando fontes, circuitos integrados e inúmeros componentes (Leds, diodos, resistores, capacitores, etc). Essa parte do curso, junto às aulas de programação, foram as melhores experiências que obtive na faculdade, evidenciando o meu gosto por computadores até hoje.

Figura 2: Foto de uma protoboard onde foi montado um circuito digital para mostrar os 9 dígitos decimais.

No 5º semestre, conheci o básico da eletrônica com circuitos compostos por diodos e transistores. Também foi o semestre em que me aprofundei na programação de microprocessadores, principalmente o Arduino. Com ele, realizei um projeto sobre inteligência artificial (Machine Learning), através do algoritmo Q-Learning. Esse algoritmo é capaz de resolver problemas do zero, sem nenhum dado e da maneira mais otimizada. No caso do projeto, o objetivo era que o agente encontrasse o melhor caminho de um ponto ao outro, atravessando salas. Com o ambiente pré programado e um sistema de recompensa, o agente testava vários caminhos e, então, pelos cálculos encontrava o caminho mais curto. Esse foi o meu primeiro contato com a inteligência artificial na faculdade e espero me aprofundar nessa parte do curso.

Figura 3: Foto do protótipo do projeto Q-Learning.

Sobre o autor:
Thiago Itiro Ibuki Kai 
Nascido em Botucatu-SP, tem 20 anos e atualmente faz o curso de Engenharia de Controle e Automação na Unesp-Sorocaba.

Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seja um colaborador!

Postagens populares

Total de visualizações

Seguidores

Tecnologia do Blogger.