Aba

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Churrasco de mamute: Fake ou News?


Conta a lenda que alguns pesquisadores (militares soviéticos ou exploradores americanos, já ouvi as duas versões) encontraram um exemplar de mamute congelado. Ao invés de estudar o espécime, os cientistas cozinharam o animal e o comeram!
De acordo com a versão mais conhecida, carne de mamute-lanoso preservado por congelamento foi servida no jantar de 1951 do Clube dos Exploradores, uma famosa sociedade de cientistas sediada em Nova Iorque. A história se tornou conhecida depois que foi publicada no journal Christian Science Monitor.
Mas isso é fake ou é news? Vamos por partes!

Mamutes podem ter sido preservados por congelamento?
Sim, isso é VERDADE! E se chama criopreservação.
Em locais bastante frios, como na Sibéria, alguns organismos podem ser preservados por congelamento. O mecanismo é o mesmo por trás dos alimentos guardados no freezer: pequenas temperaturas matam ou dificultam o crescimento de microorganismos decompositores. Assim, impede-se a decomposição e o fóssil é preservado por milhares de anos.
O exemplo mais famoso é Lyuba, um filhote de mamute encontrado na Sibéria em 2007.

Imagem 1: Lyuba. Por Tyrone siu. Disponível em: Lyuba, a mamute de 40 mil anos (Revista Veja, 2012). 

O Clube dos Exploradores existe e serve comidas exóticas?
Sim, isso é REAL!
O Clube dos Exploradores foi fundado em 1904, na cidade de Nova Iorque, e existe até hoje. O principal objetivo da sociedade é incentivar e encorajar o desenvolvimento científico baseado em pesquisas de campo. O clube fornece financiamento, apoio, premiações, e muitas outras formas de incentivo ao progresso da Ciência. E grandes resultados foram obtidos desse esforço: membros da sociedade foram os primeiros a conquistar o Polo Norte, o Polo Sul, o topo do Everest, o fundo do oceano e até a superfície lunar. Vários membros do Clube são famosos: você já deve ter ouvido falar de Theodore Roosvelt, Neil Armstrong, Buzz Aldrin, Elon Musk e James Cameron, não?

Imagem 2: Bandeira do Clube dos Exploradores levada à lua em 1969. Foto à esquerda por Buzz Aldrin e Neil Armstrong. Disponível em: "Carrying the Flag", no site do Clube dos Exploradores. 

E sim, o Clube dos Exploradores organiza um impressionante jantar anual. No evento, aberto apenas para membros, são entregues premiações para os exploradores que mais se destacaram. E é claro, são servidas comidas exóticas, como os espetinhos de insetos da foto.

Imagem 3: Jantar do Clube dos Exploradores de 2017. Por Craig Chesek. Disponível em galeria no site do Clube dos Exploradores. 

Carne de mamute foi servida no jantar do Clube dos Exploradores de 1951?
Existem mamutes congelados, o Clube dos Exploradores serve comidas exóticas... Será que o cardápio da festa de 1951 foi tão excêntrico? Fico triste em estragar a história no seu ponto mais emocionante, mas esse fato é FAKE! E as evidências disso estão em sobras do banquete que foram preservadas até os dias atuais.
Após o jantar do Clube dos Exploradores, o presidente do Clube, comte. Wendell Dodge, guardou algumas sobras do “mamute” e as enviou para seu amigo, Paul Howes, que não pode comparecer à festa. Howes adicionou as sobras ao museu Bruce, em Connecticut (EUA), de onde era curador.
Posteriormente, o “espécime” foi transferido para o Museu Peabody de História Natural da Universidade de Yale. Em 2016, pesquisadores dessa instituição resolveram analisar o DNA da amostra para ver se realmente era mamute. Os resultados mostraram que aquela carne pertencia a tartaruga marinha não pré-histórica.

Imagem 4: Sobras do jantar de 1951. Retirado de: Glass JR, Davis M, Walsh TJ, Sargis EJ, Caccone A (2016) Was Frozen Mammoth or Giant Ground Sloth Served for Dinner at The Explorers Club?. PLOS ONE 11(2): e0146825. https://doi.org/10.1371/journal.pone.014682

Além disso, há certa inconsistência nas notícias da época. Alguns repórteres, como o que escreveu para o Christian Science Monitor, descreveram a refeição como mamute. Já no discurso proferido pelo presidente do Clube no jantar de 1951, foi dito que a carne era de megatério (preguiça gigante) do Alasca. Porém, preguiças-gigantes existiram apenas na América do Sul.
Em conclusão, tudo provavelmente não passou de uma “pegadinha”, que por um mal-entendido acabou se tornando uma lenda.

Referências e sites interessantes
Mais sobre fósseis: CARVALHO, I.S. Paleontologia. Rio de Janeiro: Interciência, 2000.
Mais ainda sobre fósseis: HOLZ, M.; SIMÕES, M.G. Elementos Fundamentais da Tafonomia. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2002.
Notícia da Lyuba na Nature (em inglês): https://www.nature.com/articles/448237a
Notícia da Lyuba na Veja (em português): https://veja.abril.com.br/galeria-fotos/lyuba-a-mamute-de-40-mil-anos/
Site do Clube dos Exploradores (em inglês): https://explorers.org/
Artigo “Was Frozen Mammoth or Giant Ground Sloth Served for Dinner at The Explorers Club?”, de Glass e colaboradores, 2016 (em inglês): https://doi.org/10.1371/journal.pone.0146825
Notícia sobre o artigo de Glass e colaboradores, 2016 (em inglês):  https://www.nytimes.com/2016/02/04/science/explorers-club-mammoth-dinner.html

Sobre a autora:

Maria Laura Kuniyoshi é estudante de graduação de Ciências Biológicas na UNESP de Botucatu. Ela realiza pesquisa sobre Biologia Molecular do músculo e é apaixonada por divulgação científica.

Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seja um colaborador!

Postagens populares

Total de visualizações

Seguidores

Tecnologia do Blogger.