Aba

segunda-feira, 12 de março de 2018

Híbridos de ovelha e humano: cientistas apostam em nova estratégia para transplante de órgãos




Por: Érica Ramos
erica.ramos00@gmail.com


Não é todo dia que a gente houve falar a palavra híbrido, ainda mais envolvendo a espécie humana. Apesar de parecer ficção, é real: cientistas conseguiram desenvolver embriões de ovelhas com 0,01% de células humanas!

Os pesquisadores da Universidade da California (Davis, EUA) e da Universidade de Stanford (EUA) anunciaram o feito em fevereiro de 2018, no Encontro da Associação Americana para o Avanço da Ciência (Austin, EUA). Pablo Ross, pesquisador que liderou o estudo, explicou que o grupo conseguiu introduzir células tronco humanas em embriões de ovelhas e manter o crescimento embrionário normal. O embrião se desenvolveu por 28 dias  (21 dentro da ovelha mãe) e, após esse período, o crescimento foi interrompido pelos cientistas, visto que eles não tinham autorização para mantê-lo por um período maior.

O mais interessante é que as células do embrião de ovelha foram editadas geneticamente para não desenvolver o pâncreas. Dessa forma, se o desenvolvimento desse indivíduo continuasse, ele não possuiria o órgão. Porém, como foram inseridas células humanas normais, o resultado esperado é que estas células iriam substituir o órgão que as células de ovelha não conseguiriam desenvolver, no caso o pâncreas.

Por enquanto, eles tiveram bons indícios que a estratégia estava dando certo. No entanto, os cientistas disseram que será necessário deixar o embrião híbrido modificado se desenvolver por pelo menos 70 dias para avaliar melhor o resultado e aguardam autorização para fazê-lo.
Até o momento, o resultado foi o melhor obtido para esse tipo de estratégia, pois conseguiu fazer com que 1 em cada 10.000 células do embrião fossem humanas. Anteriormente, alguns estudos só haviam conseguido 1 a cada 100.000 células em embriões de porcos. Segundo os próprios pesquisadores, a próxima meta é chegar a 1% de células humanas.

A imagem mostra um embrião de porco, híbrido com células humanas, produzido em 2017 no estudo que conseguiu inserir 1 célula humana a cada 100.000 do embrião. O feito atual com ovelhas ainda não tem foto divulgada. Autor da foto: JUAN CARLOS IZPISUA BELMONTE

Mas o que tudo isso tem a ver com transplante de órgãos?

Muitas estratégias atuais tentam melhorar o transplante de órgaos, incluindo a impressão de órgãos em 3D ou produzir órgãos artificiais, como máquinas. 
Uma das estratégias é criar organismos híbridos com humanos, que consigam ser doadores e não apresentem nenhum tipo de rejeição. Isso é muito difícil, mas com a conquista atual está próximo de se tornar realidade. 

Ainda existem barreiras a se vencer, tais como vírus do hospedeiro e o direcionamento das células humanas para o correto órgão que se deseja produzir. Todavia, outros estudos já conseguem lidar com essas questões a partir de edição do DNA,  o que falta é unir stratégias e torná-las viáveis.
Se tudo der certo, em um futuro próximo (entre 10-20 anos adiante) poderemos produzir órgãos humanos para transplante em animais (tais como a ovelha) híbridos modificados geneticamente.

Sobre a autora: Bióloga e Mestre em Ciências Biológicas (Genética) pela UNESP, apaixonada pelo tema Educação e, também, editora desta página de Divulgação Científica. No momento atua como aluna de doutorado na UNESP, na área de Genética.

Quer saber mais?



Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seja um colaborador!

Postagens populares

Total de visualizações

Seguidores

Tecnologia do Blogger.