Aba

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

O dente de 9 milhões de anos que pode mudar nossa história evolutiva

 
Por: Érica Ramos
erica.ramos00@gmail.com

Há 80 anos não eram encontrados fósseis no sítio pré-histórico de Eppelsheim, perto de Frankfurt, na Alemanha. Muitos acreditam que boa parte dos fósseis foi perdida com os efeitos de bombardeios da segunda guerra mundial na região. No entanto, em outubro de 2016, pesquisadores alemães, liderados por Herbert Lutz, encontraram dois dentes fósseis de primatas. Essa descoberta só veio a público em outubro de 2017, após um estudo maior sobre os exemplares.
Segundo o estudo, ambos os dentes pertencem ao mesmo indivíduo. Um dos dentes (canino), tem características somente encontradas em fósseis de hominídeos já extintos das espécies Ardipithecus ramidus e Australopithecus afarensis. Dessa forma, o dente seria tão velho quanto os fósseis mais antigos do continente africano (sendo um dos mais famosos, o fóssil chamado Lucy). Porém, o outro dente (molar) não se parece em nada com dentes já encontrados em nenhum hominídeo, o mais próximo grupo com dentes parecidos são os Pliopithecus, um dos grupos mais antigos de primatas. Ambos os dentes datam de 9 a 10 milhões de anos atrás. É aí que começa a polêmica!
Imagens dos dentes canino (à esquerda) e molar (à direita).

Muitos interpretaram a informação como confirmando que os fósseis africanos não seriam os primeiros e, consequentemente, não teriam sido a principal origem da espécie humana pois os dentes encontrados em Eppelsheim têm a mesma idade e o canino tem características semelhantes aos fósseis mais antigos de hominídeos.
Porém, e coloca um bom porém nisso, o outro dente, que pertence ao mesmo indivíduo, tem características de um grupo primata mais antigo aos hominídeos e muito distante (evolutivamente falando), afinal somos mais próximos de babuínos do que dos Pliopithecus.
A discussão ainda não está totalmente definida. No entanto, o consenso, até o momento, é o de que houve uma espécie de primata ancestral (o que explica o molar), até então não conhecida por nós, que possuía dentes caninos parecidos com os dos hominídeos africanos e que habitou a região da Alemanha há cerca de 9 milhões de anos. Essa é a hipótese mais aceita pois já foram registrados ossos de outros fósseis de Pliopithecus na região, que datam do mesmo período. O fenômeno que explicaria o surgimento da mesma característica em grupos diferentes em momentos diferentes é chamado convergência adaptativa e pode ser a razão de ambos os grupos apresentarem dentes caninos naquele formato.

Sobre a autora: Bióloga e Mestre em Ciências Biológicas (Genética) pela UNESP, apaixonada pelo tema Educação e, também, editora desta página de Divulgação Científica. No momento atua como aluna de doutorado na UNESP, na área de Genética.

Quer saber mais? Veja os links abaixo:

-Em português
https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/descobertos-dentes-que-podem-reescrever-a-historia-da-humanidade.ghtml
http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2017/10/dentes-de-9-milhoes-de-anos-podem-mudar-historia-da-humanidade.html
http://videos.band.uol.com.br/jornaldaband/16335653/dentes-descobertos-na-alemanha-intrigam-arqueologos.html

-Em inglês
https://news.nationalgeographic.com/2017/10/ancient-teeth-found-germany-dont-rewrite-human-history-science/
https://www.researchgate.net/publication/320518472_A_new_great_ape_with_startling_resemblances_to_African_members_of_the_hominin_tribe_excavated_from_the_Mid-Vallesian_Dinotheriensande_of_Eppelsheim_First_report_Hominoidea_Miocene_MN_9_Proto-Rhine_Riv

Imagem original retirada de: 
https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/descobertos-dentes-que-podem-reescrever-a-historia-da-humanidade.ghtml

Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seja um colaborador!

Postagens populares

Total de visualizações

Seguidores

Tecnologia do Blogger.