Aba

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Os vencedores do prêmio Nobel de 2017

Por:
João Zamae 
 joaozamae@gmail.com

Os Prêmios Nobel são um conjunto de prêmios internacionais anualmente concedidos em reconhecimento aos maiores avanços nas áreas de literatura, medicina, física, química, paz e economia. Sua entrega é feita anualmente, sendo que as nomeações ocorrem no mês de março e os premiados tem seus nomes revelados a partir da última semana de outubro. Abaixo apresentamos alguns dos vencedores deste ano, bem como as pesquisas desenvolvidas por eles.

Prêmio Nobel de Física:
Rainer Weiss (1/2 do prêmio), Barry C. Barrish (1/4 do prêmio) e Kip S. Thorne (1/4 do prêmio), ganhadores do nobel de física 2017.
Os cientistas Rainer Weiss (Físico do Instituto de Tecnologia de Massachussetts- Estados Unidos), Barry Barish (Físico do Instituto de Tecnologia da Califórnia- Estados Unidos) e Kip Thorne (físico, membro do Instituto de Tecnologia da Califórnia) foram contemplados pelo prêmio pela contribuição na construção do Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser (LIGO) que permitiu a detecção das ondas gravitacionais, previstas por Albert Einstein há mais de 100 anos. Essas ondas podem ser produzidas por fenômenos de grande magnitude – como o choque entre dois buracos negros – que geram pequenas alterações no espaço/tempo. As ondas gravitacionais se expandem pelo universo à velocidade da luz, deformando-o como uma pedra deforma a superfície da água ao cair num lago.
O projeto LIGO reúne mais de mil cientistas do mundo inteiro, inclusive brasileiros.


Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser (LIGO) (Esquerda) e esquema de geração de ondas gravitacional pela colisão de dois buracos negros (direita).



Prêmio Nobel de Química:
Richard Henderson (1/3 do prêmio), Joachim Frank (1/3 do prêmio) e Jaques Dubochet (1/3 do prêmio), ganhadores do nobel de química 2017.

Os vencedores foram Jacques Dubochet (cientista aposentado do Laboratório Europeu de Biologia Molecular, em Heildelber- Alemanha), Joachim Frank (biofísico da Universidade de Colúmbia nos Estados Unidos) e Richard Henderson (biólogo no Laboratório de Biologia Molecular do Conselho de Pesquisa Médica de Cambridge- Inglaterra). Juntos desenvolveram a técnina de microscopia crioeletrônica que permite aos cientistas observarem as moléculas no meio do seu processo orgânico e entenderem o que está ocorrendo dentro delas.
A técnica já foi utilizada para visualizar as estruturas do zika vírus e também o fenômeno da resistência bacteriana.
"Este método coloca a bioquímica em uma nova era. Pesquisadores poderão congelar biomoléculas no momento em que realizam seus movimentos e visualizar processos que nunca foram vistos antes, o que é decisivo para o entendimento da vida e para o desenvolvimento de remédios", explicou a Academia Real Sueca de Ciências após anunciar os vencedores do Nobel de Química.
Imagem das partículas do vírus da zika (Microscopia Crioeletrônica)

Prêmio Nobel de Medicina:
Jeffrey C. Hall (1/3 do prêmio), Michael Rosbash (1/3 do prêmio) e Michael W. Young (1/3 do prêmio) ganhadores do nobel de medicina 2017.

O trio de pesquisadores composto por Jeffrey C. Hall (geneticista e cronobiologista das Universidades do Maine e Brandeis- Estados Unidos), Michael Rosbash (biólogo da Universidade Brandeis e investigador do Instituto Médico Howard- Estados Unidos) e Michael W. Young (biólogo e geneticista da Universidade de Rockefeller- Estados Unidos) ganharam o prêmio por descobrirem os mecanismos moleculares que controlam o ritmo circadiano, na mosca da fruta (Drosophila melanogaster), isto é, os fenômenos biológicos que ocorrem ritmicamente por volta da mesma hora do dia, como o sono. Mecanismos similares explicam como as plantas, os animais e as pessoas sincronizam seus ritmos biológicos com as voltas do planeta Terra.

O prêmio nobel de medicina foi outorgado pelo descobrimento do gene period em moscas da fruta (Drosophila melanogaster), o que levou ao entendimento dos ritmos circadianos em vários organismos, incluindo os seres humanos.
Sobre o autor: Médico veterinário, especialista em oncologia animal, cursou residência e mestrado em patologia animal pela FMVZ-UNESP de Botucatu e atualmente é doutorando em oncologia pelo Programa de Patologia da FMB-UNESP de Botucatu, e membro do grupo ViriCan, onde investiga o uso de produtos naturais no tratamento dos cânceres.

Ficou curioso? Veja os links abaixo:
-Em português
https://brasil.elpais.com/brasil/2017/10/02/ciencia/1506930333_130980.html
http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2017/10/nobel-de-fisica-vai-para-cientistas-que-descobriram-ondas-gravitacionais.html
http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2017-10-04/nobel-quimica-2017-zika.html
-Em inglês
https://www.nobelprize.org/nobel_prizes/medicine/laureates/2017/press.html
https://www.nobelprize.org/nobel_prizes/chemistry/laureates/2017/press.html
https://www.nobelprize.org/nobel_prizes/physics/laureates/2017/press.html

Imagens Retiradas de:
http://www.dnoticias.pt/mundo/nobel-da-fisica-atribuido-aos-cientistas-rainer-weiss-kip-thorne-e-barry-barish-DB2120261
http://www.sciencemag.org/news/2016/02/gravitational-waves-einstein-s-ripples-spacetime-spotted-first-time
http://indianexpress.com/article/explained/nobel-prize-in-chemistry-2017-jacques-dubochet-joachim-frank-richard-henderson-molecules-of-life-captured-in-3d-4874713/
http://science.sciencemag.org/content/352/6284/467.full
http://en.mercopress.com/2017/10/03/nobel-prize-in-medicine-for-three-us-scientists-work-on-the-body-s-daily-rhythms
https://www.nobelprize.org/nobel_prizes/medicine/laureates/2017

Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seja um colaborador!

Postagens populares

Total de visualizações

Seguidores

Tecnologia do Blogger.