Aba

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Desmistificando os tubarões



Por: Natália Jade Mendes
na.jmendes@gmail.com 




Por: Sâmia Mouallem de Camargo
samouallemc@gmail.com


Quando falamos a respeito dos tubarões logo vem à nossa mente a imagem de um impiedoso predador marinho – imaginário que é fortemente alimentado pelos meios de comunicação, seja por meio de filmes assustadores ou reportagens tendenciosas. Assim, a maioria da população desenvolve o medo pelos tubarões, que acabam sendo vistos como grandes vilões. Além disso, os tubarões não cativam o público como as ‘’espécies bandeiras’’ – por exemplo, o mico-leão-dourado, a tartaruga marinha e a arara-azul –, mais um fator que dificulta a luta pela conservação dos tubarões.
Um dos caminhos para a conservação dessas espécies é desmistificar, por meio da informação e da conscientização, a reputação assustadora que cada uma delas desenvolve nos seres humanos. Para isso, é imprescindível a comunicação entre os cientistas e a população, pois, mesmo que consigamos provar, com estudos genéticos, a necessidade de medidas urgentes de conservação, nossos esforços não terão utilidade se a população não tiver consciência dos fatos – consciência que pode ser obtida com o uso de materiais didáticos, como uma cartilha.
Tendo em vista a necessidade de que informações científicas devam chegar ao público em geral, a cartilha “Tubarões: ameaça ou ameaçados?” (Figura 1) aborda temas como a pesca excessiva e acidental, a poluição dos mares, a importância dos tubarões para o meio ambiente marinho como responsáveis pelo ‘’equilíbrio ecológico’’ nos oceanos, o papel da genética na conservação dos tubarões, entre outras curiosidades. Temas que podem ser usados para auxiliar os professores de Ciências e Biologia em diversos assuntos, como Zoologia, Ecologia, Biologia Molecular, Conservação, e podem ser abordados para todas as séries do Ensino Básico, pois abrangem temas que vão desde os mais simples, porém não menos importantes -  como a poluição dos mares, até assuntos mais complexos como a identificação genética.
Figura 1: Capa da cartilha "Tubarões: ameaça ou ameaçados?"
Fazendo uso de uma linguagem de fácil compreensão, queremos conscientizar crianças, jovens e adultos – principalmente a população que vive próxima ao litoral –, da importância da luta pela conservação dos tubarões. Também, objetivamos mostrar como cada um de nós pode fazer a nossa parte. Não adianta gerar informação científica se essas informações ficarem apenas no papel.
Com este material didático, esperamos que a reputação dos tubarões seja desmistificada, a partir de uma mudança de olhar para essas espécies e para as nossas atitudes, pois as ações antrópicas foram responsáveis pela diminuição de até 90% de algumas populações. Além disso, a cartilha também busca mostrar que, enquanto não vivermos em equilíbrio com a natureza, ou seja, enquanto continuar ocorrendo o comércio ilegal de nadadeiras, a falta de identificação das carnes vendidas, a poluição dos mares e a pesca excessiva e desenfreada, nós é que somos a verdadeira ameaça.

Para conhecer a cartilha e avaliar suas possibilidades de uso no ensino, confira o link abaixo:
https://drive.google.com/file/d/0Bz-D7dtcW_CNczdDM3lURk5SU0E/view?usp=sharing


Sobre as autoras: 
Natália é Bióloga, Mestre na área de Genética Animal pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Genética) da UNESP de Botucatu, atuou na área de conservação de elasmobrânquios e estrutura populacional. Atualmente, é aluna de doutorado pelo mesmo programa de pós-graduação, Ciências Biológicas (Genética), e desenvolve sua pesquisa na área de Genética aplicada à Aquicultura.
Sâmia Bióloga e Mestre em Ciências Biológicas (Genética) pela UNESP, apaixonada por Ciência e, também, editora desta página de Divulgação Científica. No momento atua como especialista de aplicação na Thermo Fisher Scientific.


Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seja um colaborador!

Postagens populares

Total de visualizações

Seguidores

Tecnologia do Blogger.