Aba

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Minha Querida Pesquisa - Edna Gicela Ortiz Morea



Edna Gicela Ortiz Morea – Bióloga
Mestre em Genética
estudante de Doutorado em Genética
Universidade Estadual Paulista - UNESP

Realizei a minha graduação em Biologia na “Universidad de la Amazonia” na minha cidade de origem, chamada Florencia, uma pequena cidade localizada no sul da Colômbia. Durante o decorrer do curso, meu interesse pela genética despertou e cresceu, principalmente pela genética mendeliana.
Tudo começou com um trabalho em sala de aula, no qual o professor pediu para fazermos cruzamentos entre moscas com diferentes características, para ver como estas características eram passadas dos pais para as próximas gerações. Isso foi genial! Ver como tudo o que tinha aprendido na sala de aula podia ser reproduzido na prática tão claramente. 
No quarto ano da graduação, tive a oportunidade de fazer um intercâmbio por 6 meses na Escola Superior de agricultura Luiz de Queiroz, na Universidade de São Paulo (ESALQ-USP). Durante o intercâmbio, a minha visão científica e cultural aumentou, e tive meu primeiro contato com a biologia molecular, acompanhando estudos que envolviam microRNA (miRNA). 
Mas o que são esses miRNAs? Até então, eu nunca tinha ouvido falar deles! Pois bem, os miRNAs são pequenos RNAs que não sintetizam proteínas (RNAs não codificantes) e sua principal função é a de regular os genes. Os miRNAs estão envolvidos nos mais diversos processos de desenvolvimento, em quase todos os organismos. E assim, eu entrei no “mundo dos RNA não codificantes”. 
Após minha formatura, senti a necessidade de continuar e aprimorar a minha formação cientifica, e decidi fazer Mestrado no programa de Ciências Biológicas - Genética da Universidade Estadual Paulista (UNESP), tendo como orientador um professor que conheci durante meu intercâmbio. O principal objetivo do meu Mestrado era estudar os miRNAs envolvidos no desenvolvimento vegetal. O meu trabalho tinha duas linhas de pesquisa, uma buscava entender o processo evolutivo de um miRNAs que não estava presente em um grupo de plantas e, a outra, entender o papel de um miRNA no desenvolvimento da raiz. 
Atualmente estou cursando o doutorado pelo mesmo programa que fiz o mestrado, mas.... Mudei de organismo! Estou trabalhando com a identificação e caracterização de longos RNAs não codificantes com função telomérica em Leishmania spp. 
Mas o que é isso? Vou explicar um pouco sobre o meu doutorado, primeiro o que é Leishmania : Leishmania é o parasita causador da Leishmaniose, uma doença tropical que afeta principalmente às pessoas mais pobres, tendo milhões de casos por ano no Brasil. E esses longos RNAs não codificantes com função telomérica? São longos RNAs que não codificam proteínas que estão envolvidos na manutenção dos telômeros. E finalmente: o que são os telômeros? Os telômeros são as extremidades dos cromossomos que protegem a integridade do genoma, para que a informação genética seja corretamente passada de geração para geração (podemos pensar nos telômeros como aquelas pontinhas de plástico nos cadarços dos sapatos, que os protegem para não desfiarem). 
Mas, porquê estudar os telômeros? E porquê utilizar a Leishmania como modelo de estudo? Levando em consideração que até o momento não existe nenhuma vacina ou tratamento eficiente para a Leishmaniose, estudar a biologia e fisiologia do parasita pode ajudar no desenvolvimento de novos fármacos ou tratamentos terapêuticos. Este é o caso dos telômeros, cuja principal função é a de manter a estabilidade do genoma que se alterada pode afetar diretamente a proliferação ou multiplicação desses parasitas. 
A possibilidade de estudar no exterior me deu maturidade pessoal e independência, e o principal ponto que me ajudou no processo de aprendizado foi a minha paixão pelo que faço. Entender como funcionam alguns processos biológicos e como, a cada descoberta, surgem mais perguntas é um desafio que sempre me mantém motivada.
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

3 comentários:

  1. Parabéns Gicela! Sucesso em sua pesquisa!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Gicela, me siento orgulloso de ti, te conocí durante la carrera; me alegra leer éste artículo y ver que la biología despertó en ti ese interés que en mi no, luego de graduarme decidí estudiar nutrición y dietética, la carrera que estoy a punto de terminar y que amo con loca pasión... en conclusión, no hay nada mejor que hacer lo que a uno le gusta. Al parecer Brasil es un país que ha brindado muchas oportunidades a amigos y conocidos en el área de la biología, bien por todos ustedes. Saludos desde Medellín :)

    ResponderExcluir

Seja um colaborador!

Postagens populares

Total de visualizações

Seguidores

Tecnologia do Blogger.